Como abordar temas complexos de maneira que o eleitorado possa entender - Parte II

Francisco Ferraz
Publicado em: 12/03/2014

Não há regra mais importante na comunicação política do que clareza. A política depende do falar: discursar, argumentar, conversar etc. Não basta,entretanto, usar da palavra para o candidato dizer o que quer, da forma que bem entender. Se ele não falar de forma a ser entendido pelos cidadãos sua comunicação não vai funcionar.

Como usa-se, na comunicação política, a mesma linguagem usada na comunicação social – nas conversas em família, com amigos, no trabalho, e, inclusive, na política – os conceitos políticos incorporam um grau de ambigüidade muito alto, decorrente de sua aplicação a outras áreas.

O conceito de poder, por exemplo, tem um significado na política muito diferente do que tem, quando aplicado às relações familiares, afetivas, ou até mesmo de trabalho.

Neste aspecto, a linguagem política se diferencia radicalmente da linguagem usada em outras profissões como ocorre na medicina, na engenharia, no direito, na economia, etc. Estas profissões possuem uma terminologia que só os iniciados nela, seus praticantes entendem. Os termos e conceitos que usam possuem significados claros, nãoambíguos, e referidos a sintomas previamente descritos (o mais das vezes, de forma quantitativa).

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Achei mais prático o site atual. Parabéns!

Eridson Vieira
Cuiabá - MT

Leia mais >>