Ética e competência: não se cria moralidade por legislação

Francisco Ferraz
Publicado em: 20/04/2017

Será que ainda há o que falar sobre corrupção?  Será que a anunciada reforma política e as mudanças na legislação resolveriam este grave problema?

Não creio.

Mudanças na legislação somente são eficientes quando um sentimento popular intenso e permanente as sustenta.

A lei, para regular o comportamento, tem que corresponder aos costumes, valores e princípios de uma comunidade. Quando resultam apenas do raciocínio político e da mera intenção, não conquistam aquela legitimidade que se impõe moralmente aos cidadãos, e que atemoriza os que pensam em desrespeitá-las.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Tenho recebido, diariamente, as informações do Política para Políticos e só tenho elogios ao trabalho de vocês, sobretudo quero destacar o alto nível das matérias veiculadas. Vocês estão de parabéns pela qualidade do trabalho. Continuem assim, pois tem sido uma excepcional contribuição para quem lida com estes assuntos.

Divino Pereira de Brito
Belo Horizonte - MG

Leia mais >>