Para constituir sua imagem é preciso distingui-la de sua personalidade original

Francisco Ferraz
Publicado em: 13/02/2017

Poucas palavras são mais pronunciadas numa campanha do que imagem. Não é por acaso, também, que o termo é sempre usado de maneira dinâmica. Fala-se em "mudar a imagem", "corrigir a imagem", "melhorar a imagem" e até em "construir a imagem". Tais manifestações, portanto, transmitem a ideia de que imagem refere-se a algo que é plástico, moldável e ajustável até o limite de poder ser construído. Ora, construção sempre supõe a ação da arte sobre uma matéria-prima, de forma a que venha a corresponder a uma concepção, idéia ou projeto.

Assim, o escultor usa seu conhecimento, seu talento e sua habilidade (arte) para transformar o bloco de mármore (matéria-prima) numa estátua que, antes de sua existência real, existia na sua mente. Enquanto a matéria-prima da ação do artista for inanimada (como o bloco de mármore), o único limite imposto é o talento do artista. Quando, entretanto, a matéria-prima possui vida - isto é, consciência, historicidade e vontade - os limites são muitos e de variada natureza.

A construção da imagem de um político é, pois, um exemplo paradigmático da situação em que o artista (publicitário) tenta moldar a matéria-prima (pessoa do candidato), de maneira a corresponder ao projeto de imagem que deseja "vender" para a opinião pública, com as limitações próprias e dificuldades típicas envolvidas numa construção efetuada sobre uma pessoa. De outra parte, há também uma compreensão universal e quase intuitiva de que imagem conota a ideia de "aparência", "apresentação", por oposição à ideia de "condição natural". Por esta razão, sempre que se fala em imagem impõe-se a indagação sobre o grau de correspondência entre ela e a realidade. Na campanha eleitoral, portanto, a imagem do candidato é encarada como possuindo estas duas características:

Quando se trata da imagem do político, o primeiro e mais importante princípio que precisa ficar muito bem estabelecido é:

O que o eleitor conhece do candidato é a sua imagem, e não a sua personalidade total

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Fiquei muito satisfeito com tudo que vi. Estou iniciando uma consultoria e antes de ver o site os meus estudos eram muito parecidos com o que encontrei no Política para Políticos.


Everaldo Pereira Dos Santos
Pirapora - MG

Leia mais >>