Ninguém está imune aos erros. Nem mesmo os políticos importantes e poderosos

Francisco Ferraz
Publicado em: 13/06/2017

Mesmo os políticos mais importantes, experientes e poderosos, cometem erros que, apesar de pequenos, possuem consequências desastrosas. Sua experiência, autodisciplina e conhecimento são derrotados, nestes casos, por sentimentos tão comuns como a vaidade, ambição, arrogância, ódio, e outros de natureza semelhante que atingem qualquer mortal. Ocorre que o político, sobretudo o governante, não é qualquer mortal. É uma pessoa pública, e, como tal, os erros que pratica, adquirem uma dimensão muito maior do que no caso de pessoas comuns.

Os erros de maiores consequências ocorrem em situações de conflito, quando o julgamento fica comprometido pelas emoções, o adversário usa todas as suas armas para derrotar-nos, e as decisões precisam ser tomadas rapidamente, num contexto de informações insuficientes, de incertezas e riscos. Ora, por razões como estas, a relação de conflito na política é a mais incerta de todas as interações. Sabe-se como se entra num conflito, mas é muito difícil saber-se como se sai dele.

Relações de conflito - eleitorais, partidárias, entre grupos sociais, e até guerras - devem ser encaradas com extremo cuidado. Como regra, deve-se refletir muito antes de entrar nelas, avaliar custos e consequências em relação aos benefícios trazidos pela eventual vitória, probabilidade de vencer, recursos necessários, e sua disponibilidade, estratégias, entre outras questões. Se, após toda esta reflexão, a decisão for entrar no conflito, então se entra "com tudo". Entra-se para ganhar da maneira mais cabal possível e dentro do menor prazo de tempo.

É sobremaneira decisivo planejar a forma de concluir e sair do conflito, após a vitória. A clássica frase de Pirro é uma advertência perene a todos os que entram num conflito: "Mais uma vitória como esta e estaremos perdidos".

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Eu sou angolano e vivo em Angola onde tenho presenciado o nosso sistema politico, que através deste grande site "Política para Políticos" fui descobrindo coisas que me dão hoje a vontade de ser politico para lutar e mostrar ao meu povo o que é a verdadeira democracia. Acredito que com vocês poderei aprender como ser politico. Espero que continuem nesta senda e não se cansem nunca. Ainda não sou politico mais tenho certeza que com a vossa ajudinha o serei. Tenho projetado a criação de um partido com o nome partido "União para Mudança de Angola". Espero de vocês conselhos para o seu amadurecimento. Força para vocês e um grande abração.

João Varandas Chomba
Luanda - Angola - AC

Leia mais >>