A política como espetáculo

Francisco Ferraz
Publicado em: 13/07/2017

Além do poderoso arsenal de recursos e técnicas publicitárias, o marketing político possui a sua reserva especial de "truques", lances e estratagemas para uso em situações especiais. Eles representam aquela área cinzenta, onde a ânsia de ganhar e aumentar o seu poder, ou ainda, de evitar as acusações, ataques e críticas contundentes, induz à adoção de práticas pouco ortodoxas - para ser ameno - em relação à verdade e à própria autenticidade da democracia.

Estes "truques" vão desde a inofensiva distorção de fatos em favor da versão que favoreça ao político até o limite da manipulação de uma população por motivos políticos.

Nos regimes totalitários, onde o Estado produz ou controla os veículos de comunicação de massa, penetra as organizações sociais intermediárias (entre a família e o Estado), com seus agentes, gera a atomização da vida individual, e, por via da negação dos direitos e garantias individuais, cria uma condição social de permanente temor e insegurança, não é tarefa muito difícil usar o instrumental e os recursos da publicidade para manipular uma população.

A combinação da propaganda com a censura, assegura ao poder totalitário:

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Olá, professor Ferraz. Transformei-me numa profunda adimiradora do seu trabalho. Agradeço-te e parabenizo pelo que tens feito por nós através da Internet, nos esclarecendo, informando e aconselhando sempre. Estou fazendo a coleção dos seus cadernos, são ótimos. Têm uma linguagem super didática.

Roseane Paiva
Natal - RN

Leia mais >>